Leitura de fevereiro de 2018

racionalismo-cristao-leitura-mes-e

Siga pelo caminho da espiritualidade

Antonio Cottas
Consolidador do Racionalismo Cristão

Espíritos do Astral Superior sentem-se motivados a continuar o trabalho que fazem pelo bem da humanidade quando observam pessoas portadoras de pensamentos elevados, que demostram alto grau de abnegação, tolerância e sensibilidade com os semelhantes, seja por uma palavra amiga, um bom conselho ou gesto de solidariedade. Ao mostrarem sentimentos positivos, despertam nas demais o interesse pela espiritualidade, sem nada esperar em troca. Esse bem tem valor inestimável, não tem preço, como se costuma ouvir. Qualquer ato de bondade contribui para uma humanidade melhor, e essa é a imagem do racionalista cristão convicto.

Por outro lado, há indivíduos que conservam no âmago sentimentos negativos. Desejam mal ao próximo, achando que podem escapar aos efeitos dos seus atos. Se soubessem que o mal maior que fazem é a si mesmos, agiriam de forma diferente, pois a lei evolutiva de causa e efeito é imutável, livre, portanto, de qualquer interferência. Ao terem sentimentos de ódio, de vingança, criam em torno de si péssimo ambiente astral, que propicia o aparecimento de doenças físicas e perturbações psíquicas, gerando preocupações, desavenças, desordens e tantas outras mazelas humanas observadas ao redor.

Logo, o chamado mundo espiritual não pode ser ignorado por ninguém. As pessoas que não despertaram para a espiritualidade, que ainda não se sensibilizaram com o universo fenomênico que aponta para a existência de parcelas da Inteligência Universal em evolução, como são elas próprias, estão mais sujeitas aos efeitos dos maus ambientes astrais em que vivem e trabalham, particularmente as que possuem maior sensibilidade, notadamente a mediúnica.

A verdade da vida espiritual que o Racionalismo Cristão defende e divulga não pode ser ignorada, e, por isso, requer estudo, para que os seres humanos não continuem a esperar por milagres que resolvam seus problemas ou a pedir perdão pelas faltas que cometem, porque milagre, perdão, destino, sorte e azar não existem, são invenções humanas. O que não quer dizer que devam lamuriar-se ou ter sentimento de culpa pelos malfeitos, mas reconstruírem suas vidas a cada dia, respeitando a realidade das leis evolutivas.

Haverá momentos de rupturas passageiras certamente, mas nada que não possa ser reerguido com valor, coragem e sem perda de tempo. A existência na Terra é valiosa para o espírito, pois a trajetória evolutiva é lenta e longa, não dá saltos. Nenhum espírito sai do seu mundo de estágio com nível acima do grau da escala evolutiva adequado a este mundo de escolaridade. A não ser que venha com a missão específica de despertar a humanidade para o espiritualismo.

Assim, os seres humanos devem ter humildade. Todos que estão na Terra são imperfeitos, têm muito a aprender e aprimorar uns com os outros. Para isso, é preciso estudar, ter autoconhecimento, observar seu interior, refletir sobre seus atos. Os que só enxergam imperfeições em terceiros perdem a oportunidade de aprimorar-se, como fazem os que mantêm bons pensamentos e sentimentos, os que seguem pela estrada reta do espiritualismo, onde regalia e discriminação, riqueza e pobreza, beleza e feiura, no sentido figurado das comparações, não são importantes ou sequer necessárias, pois todos são iguais, diferindo entre si apenas quanto ao nível de evolução espiritual. Vale a pena seguir pelo caminho da espiritualidade.


O valor das reuniões públicas
Humberto Rodrigues
Presidente Astral do Racionalismo Cristão

Muitas pessoas que comparecem às reuniões públicas da Casa-Chefe e das filiais do Racionalismo Cristão acham que não lhes é dada a devida atenção, porque ninguém pergunta detalhes de suas vidas pessoais. Algumas delas, ao constatarem que seus pensamentos não foram captados por médiuns na mesa do estrado, como ocorreu com outras, também acham que as angústias por que passam não serão superadas.
São pensamentos equivocados que os assistentes têm, especialmente os que chegam pela primeira vez às nossas Casas, inclusive aos Correspondentes do Racionalismo Cristão, pois ainda desconhecem o método disciplinar utilizado durante os trabalhos espiritualistas realizados.

Por já estar formada uma corrente fluídica fortíssima desde as irradiações preliminares que antecedem o acesso das pessoas às reuniões públicas, todas são beneficiadas tão logo adentram suas portas, devido à ação vibracional das Forças Superiores que coordenam os trabalhos em campo astral, inclusive arrebatando de imediato espíritos que acompanham as que estão psiquicamente perturbadas.
Os militantes – pessoas que prestam colaboração espontânea nas casas racionalistas cristãs e entram em contato direto com o público – têm por dever ser educados e tratar os assistentes de reuniões públicas com urbanidade, consideração e delicadeza, limitando-se, se de primeira vez, a perguntar seu nome e explicar os trabalhos de que irão participar e os benefícios decorrentes dessa participação, bem assim responder às indagações feitas, informando, se for o caso, que há um atendimento personalizado, destinado a tirar dúvidas de cunho doutrinário e dar orientações de natureza espiritual.

Durante as reuniões públicas, os assistentes são convidados pelos doutrinadores à cabeceira da mesa dos estrados a ler os livros publicados pela Casa-Chefe do Racionalismo Cristão, pois o estudo de nossa filosofia espiritualista faz com que a vida seja compreendida com maior clareza. Os estudiosos da espiritualidade passam a entender os problemas por que passam e a acreditar na própria capacidade de os resolver, ao passo que os desconhecedores da vida fora da matéria física acham que precisam de alguém que os ajude a superar suas dificuldades, como são por eles vistos os pressupostos julgadores divinos.

Em nossas Casas, os assistentes das reuniões públicas são estimulados a colocar a força de vontade em ação, porque todos a possuem. Infelizmente, as pessoas não têm conhecimento do poder que a força de vontade guarda como expressão de valor. Julgam-se fracas perante as dificuldades que encontram no cotidiano. Se pensassem e raciocinassem com clareza, iriam descobrir que na maioria das vezes os problemas só ficaram maiores porque não foram resolvidos quando eram pequenos. Por falta de vontade, vão empurrando suas agruras para cá e para lá, porque não se conhecem como espíritos em evolução, possuidores de atributos e faculdades inatas capazes de tudo resolver se acionados de forma corajosa. Daí os problemas se avolumarem cada vez mais, como avalanche de neve montanha abaixo.

Então, quem comparece pela primeira vez às casas racionalistas cristãs deve prestar muita atenção aos trabalhos realizados, às orientações dos doutrinadores em resposta aos pensamentos de assistentes captados por médiuns na mesa dos estrados, às manifestações dos presidentes astrais de cada Casa. Como os problemas abordados são muitas vezes comuns a várias pessoas presentes, tudo é tratado em tese, sem nominar quem quer que seja, preservando o devido e necessário anonimato.

À medida que as pessoas se esclarecem espiritualmente, elas valorizam seus pensamentos, passam a ter mais confiança nelas mesmas, pois reconhecem que pensamentos de fraqueza acabam por atrair vibrações negativas de igual teor e intensidade, que tornam maiores os problemas enfrentados.

Portanto, é importante que os assistentes participem das reuniões públicas realizadas em nossas Casas, se possível com frequência assídua, e ponham em prática o que ouvem e estudam. Terão a satisfação de constatar que o êxito chegou em suas vidas, porque passaram a confiar neles próprios.