Leitura de maio de 2018

racionalismo-cristao-leitura-mes-a

Estejam prontos para surpresas
Luiz de Mattos
Codificador do Racionalismo Cristão

Os seres humanos devem revestir-se de coragem, porque na vida surgem coisas que não são esperadas. Caso estejam despreparados para receber tudo que aparece, poderão fracassar em seus propósitos evolutivos.

Infelizmente, não são as pessoas que mais produzem, que mais trabalham, que mais lutam por dias melhores, as que recebem a admiração dos semelhantes. Muitas vezes uma atitude hipócrita, uma palavra lisonjeira, um gesto estudado são posicionamentos acatados com muito mais facilidade do que uma observação franca, do que um posicionamento revelado com naturalidade.

Aparências ainda têm muita importância na vida humana. A sinceridade, o que existe de bom no íntimo não tem valor para os indivíduos que vivem à cata de sensacionalismo, admiração e louvores. As pessoas que se esforçam para cumprir suas obrigações nem sempre são valorizadas como precisariam ser, apesar de viverem sob os ditames da honra e do dever.

Os indivíduos que vivem de aparências, com muita lábia e modos insinuantes, esses são muito admirados, embora nada façam de valor. É lamentável que os seres humanos sejam assim em sua maioria. Resta aos que cumprem seus deveres a consciência de os haver cumprido bem, pouco lhes importando a opinião alheia, porque estão preparados para essa triste realidade.

A vida na Terra traz em si problemas, altos e baixos, decepções, ingratidões. Poucas são as pessoas que enfrentam tudo isso sem revoltas, que, em certas ocasiões, quase são naturais, pois custa viver num mundo tão cheio de maldades, em ambiente sobretudo de pouco caso pelos valores espirituais, onde as superficialidades prevalecem.

Muitos indivíduos vivem por viver, não têm noção de responsabilidade, não se importam com o sofrimento alheio, não querem nada que lhes dê trabalho. Não se esforçam sequer para vencer uma dificuldade que surge, querem que tudo lhes venha às mãos, que seus desejos sejam realizados, querem, enfim, viver uma vida egoísta. Mas a indolência perturba, enfraquece, prejudica, avassala o espírito.

O Racionalismo Cristão esclarece os seres humanos, prepara-os espiritualmente para viver uma existência proveitosa, digna e construtiva, em benefício próprio e do semelhante. Não promete glórias nem facilidades, porque não alimenta vaidades e preconceitos, que são fraquezas espirituais. Não lastima nem tem pena de quem transgride as leis evolutivas, mas orienta no sentido de as respeitar, pois a elas tudo está sujeito.

O Racionalismo Cristão coloca seus princípios espiritualistas a serviço das pessoas que os queiram seguir, que deles se aproximem, encorajando-as a enfrentar as dificuldades da vida com valor e coragem, tendo a certeza de que sairão vencedoras ao cumprirem seus deveres com honestidade e critério.

Esclarecer os seres humanos é a finalidade do Racionalismo Cristão, insistimos em dizer. É o esclarecimento espiritual que traz de volta os que se extraviam do caminho da evolução, que traz paz a muitos lares com respeitabilidade abalada.

Ponham em prática o que o Racionalismo Cristão recomenda, sigam os nossos conselhos, pois irão conquistar a felicidade que tanto querem.


Atenção ao trabalho espiritual
Humberto Rodrigues
Presidente Astral do Racionalismo Cristão

Os seres humanos têm o dever espiritual de praticar o bem mediante atos construtivos e produtivos, que visem ao bem-estar da coletividade no meio social em que vivem.

Todas as pessoas estão no mundo para trabalhar. Quando assim afirmamos, não nos referimos somente às atividades laborais que desenvolvem, mas, acima de tudo e principalmente, ao trabalho voltado para o aprimoramento dos atributos e das faculdades espirituais, com vista à evolução do espírito na vida terrena.

O trabalho de natureza espiritual exige autorreflexão das pessoas por meio de um olhar profundo para dentro de si mesmas, de forma honesta e desarmada de indulgências ou dissimulações. Identificadas, as imperfeições devem ser eliminadas do corpo fluídico com o esforço árduo que elas reclamam.

O trabalho voltado para o crescimento espiritual é às vezes moralmente doloroso, porque põe o indivíduo em contato com suas mazelas, com as tendências negativas que traz no íntimo, e que fazem parte de sua bagagem evolutiva. A limpeza da alma exige perseverança e empenho na solução dos problemas da vida ao se escolher bons caminhos.

É um bom começo não seguir certas práticas que campeiam por aí afora, que prometem salvação às pessoas que trilham os chamados caminhos de iluminação espiritual de forma fácil. Mediante perdões, promessas, pedidos e louvores, seus seguidores ficam expostos aos riscos de atuação do astral inferior, fruto da falta de rigor disciplinar e de esclarecimento espiritual.

Não se iludam os seres humanos: saibam separar o joio do trigo, buscando o que realmente é útil à evolução, pois rigor disciplinar e esclarecimento espiritual somente são possíveis com muito trabalho. Se todos são parcelas da Inteligência Universal, todos têm atributos espirituais a serem usados, como inteligência, raciocínio e vontade, para chegarem, merecidamente, às próprias conclusões.

As pessoas que levam uma vida de indolência marcam passo. Ficam estagnadas na evolução espiritual, mesmo que conquistem aparentes vantagens de natureza material. Da mesma forma, o mal praticado produz débitos espirituais, que deverão ser resgatados no futuro em razão da lei evolutiva de causa e efeito, da qual ninguém está livre.

Logo, é importante estudar a espiritualidade, implementar disciplina no viver, educar os pensamentos, dominar as emoções, praticar a limpeza psíquica nos lares, criando bom ambiente astral, muito útil aos familiares.

O objetivo dos seres humanos na Terra é evoluírem espiritualmente, daí a necessidade do estudo da filosofia racionalista cristã, para que não esmoreçam diante das dificuldades, encarando os reveses com naturalidade ao utilizarem com proveito suas ferramentas espirituais, como os atributos reveladores do bom caráter e a faculdade do livre-arbítrio voltada para a prática do bem.